NUDEZ

Cie Independente - Moçambique

NUDEZ 2

DOMINGO 12 DE JUNHO 20H30
local: Galeria Clube dos Diários
duração: 40 min
ingresso: R$16 inteira / R$8 meia
classificação: 16 anos

Nudez oprimida!! Oprimida sim!! Nos dias que correm fui ensinado a escondê-la e a oprimi-la. Essa Nudez que todos nós gostamos e desejamos. Desejamo-la como se de água se tratasse em períodos de seca… Felizes foram nossos antepassados que deambulavam pelas aldeias e matas sem fim NUS.
A partir da vivência no workshop de vídeo dança orientado por Panaíbra Gabriel Canda (Moçambique) e Walter Verdim (Bélgica) em 2007, a nudez do corpo dos bailarinos surge intensamente como expressão a explorar no trabalho futuro.
A fonte deste espetáculo “Nudez” é claramente atribuída a Panaíbra Canda que lança o desafio do corpo nu aos jovens bailarinos no contexto deste workshop.

Nudez oprimida!! Oprimida sim!! Nos dias que correm fui ensinado a escondê-la e a oprimi-la. Essa Nudez que todos nós gostamos e desejamos. Desejamo-la como se de água se tratasse em períodos de seca… Felizes foram nossos antepassados que deambulavam pelas aldeias e matas sem fim NUS.
A partir da vivência no workshop de vídeo dança orientado por Panaíbra Gabriel Canda (Moçambique) e Walter Verdim (Bélgica) em 2007, a nudez do corpo dos bailarinos surge intensamente como expressão a explorar no trabalho futuro.
A fonte deste espetáculo “Nudez” é claramente atribuída a Panaíbra Canda que lança o desafio do corpo nu aos jovens bailarinos no contexto deste workshop.

FICHA TÉCNICA:
Coreografia e intérpretes: Matanyane Abilio e Benjamim Manhiça
Iluminotécnico: Caldino Alberto

Matenyane é dançarino moçambicano. Começou seu trabalho nas danças tradicionais moçambicanas em 1992 e continuou sua carreira na Dança Contemporânea desde 2007. Em 2009 apresentou a peça “Bitter Lives” no Festival Internacional de Dança Contemporânea Kinani, em Moçambique e no Festival de Dança Contemporânea Mogale, na África do Sul. Em 2011, juntamente com Banjamim Manhiça, concebeu o projeto NUDEZ que foi apresentado no Festival Internacional de Dança Contemporânea Kinani, em Moçambique, no “Live Art Festival”, na cidade do Cabo, na África do Sul, e no Festival Internacional “A Cena tá Preta”, em Salvador, Brasil, em 2012. Em 2013 participou do “Projeto Justaposição”, que foi apresentado no Festival Internacional de Dança Contemporânea Kinani, em Moçambique e em tournée  na Alemanha no “Festival Dance Dialogues Africa” em 2014.