TUMATE

Elielson Pacheco - PI

TUMATE

DOMINGO 12 DE JUNHO 18H30
local: Escola de Dança Lenir Argento
duração: 85 min
ingresso: gratuito
classificação: 10 anos

uma fruta trans ** um legume trans ** uma ópera doméstica ** cair, levantar, se jogar ** alguns sonhos interrompidos ** uma limpeza na poeira dos ossos ** um close desavisado ** um fluxo descontínuo ** uma paquita desconhecida ** uma leveza esquizo ** movimentos de psiquê do espaço ** desumanização do gesto ** um encaixe ** um deboche ** ATRAVESSAIVOS? ** um oráculo ** um choro ** um mar ** o anteceder do sentimento de formar grupo ** um mosaico de memórias ** música ritmo coração ** uma língua gaga ** um mover cheio de pensamento ** um abraço no pilar que sustenta ** uma pausa cheia de movimento ** loucas por esmalte, loucas por esmalte ** uma procura airada ** solidões compartilhadas ** muita dança ** too much dance ** uma dança nada

FICHA TÉCNICA:
Concepção e Direção: Elielson Pacheco
Assistente de Direção: Dudu Moreira
Produção Executiva: Fabrício Andrade
Intérpretes: Augusto Filho, Dudu Moreira, Elielson Pacheco, Hélio Alvarenga, Vicente de Paula
Colaboradores: Francisco das Chagas, Karystom Soares, Railane Matos, Salve Rainha
Transeuntes: Anna Raquel, Atma Adriara, Ayrton Sousa, Danton Brando, Edson Ramires, Fabrício Andrade, Gabriel Evangelista, Gui Fontineles, Hiago Cavalcante, Janaína Lobo, João Nery, Michele Tajra, Nazilene Barbosa, Luiz Gomes, Paulo Sérgio, Robert Rodriguéz, Thairo Borges, Soraya Portela, Wilena Weronez, Whil Chaves
Foto: Tássia Araújo

Desde 1998, Elielson Pacheco é bailarino e criador de dança, estudante de letras inglês pela UFPI, drag queen e ativista LGBT. A partir de 2006 passou a colaborar com Marcelo Evelin (BRA/HOL) no Núcleo do Dirceu e em sua companhia Demolition Incorporada, com Sheila Ribeiro (BRA/CAN) em sua cia. Dona Orpheline e Alex Guerra (BRA/ITA). Tem como criações o solo “Sobre Ossos e Robôs” que integrou a programação do Festival Brasil Move Berlim, “Mediatriz” com Janaína Lobo e Weyla Carvalho integrando a circulação do projeto SESC Amazônia das Artes e sua drag Sayara faz parte da organização dos jogos da #GaymadaThe. É interessado pela dinâmica e potência dos encontros e cruzamentos com pessoas de diferentes campos artísticos.