Ruy Filho faz resenhas sobres espetáculos do JUNTA

O dramaturgo, diretor, pesquisador, crítico de teatro, idealizador e editor da revista Antro Positivo, Ruy Filho, esteve em Teresina para acompanhar os espetáculos do JUNTA – Festival Internacional de Dança e mediar um micro-seminário sobre crítica dentro da nossa programação. Durante quatro dias da 4ª edição do Festival, Ruy e Patrícia Cividanes (designer gráfica, fotógrafa, diretora de arte e também editora da Antro Positivo) assistiram aos doze espetáculos, incluindo uma videoinstalação, apresentados em diversos espaços culturais de Teresina, dentro do "Acampamento Selvagem" do JUNT4. O crítico falou em seus textos sobre o TrETA, da Original Bomber Crew (PI); Braços Pra que Te Quero, de Ireno Junior (PI); Travesqueens, de Ricardo Marinelli e Erivelto Viana (PA/ MA); e Trindade, da Só Homens Cia de Dança (PI). Em sua resenha, Ruy destaca em "TrETA" a violência própria do masculino passada pelos artistas da Original Bomber Crew, a expectativa do desconhecido em meio aos movimentos em um espaço fechado do espaço Campo Arte Contemporânea, onde o espetáculo foi apresentado. Sobretudo, o crítico aponta o estado urbano de sobrevivência e reação e a insegurança com a presença do algo ou alguém fora do previsto dentre os movimentos dos artistas entre o público. “Um trabalho forte, denso, arrebatador”. "Braços Pra que Te Quero" evidencia, segundo o pesquisador, o talento de Ireno Junior de usar o seu corpo, os seus braços, como provocação que articula perguntas à dança sobre quem se é. A morte e o retorno a vida através de gestos intensos, a percepção do outro, o uso dos sentidos do espectador para perceber o cheiro das ervas, o som baixo e sussurros do arista criam um ambiente melancólico. “Existe uma doçura em assistir a esse ritual, como existe uma doçura em nos despedirmos de nós mesmos diante a melancolia de sermos inevitavelmente descobertas e inventos”. O abandono do clichê e a animalização com cenas de validação da própria presença evidenciando estados de violência física são algumas das características percebidas por Ruy em "Travesqueens". Um espetáculo onde Ricardo Marinelli e Erivelto Viana conseguem pôr dimensões do quanto a humanidade se deturpou ao querer se definir em um conceito único. “Travesqueens faz da sociedade o circo, invade o cômodo, destrói as proteções dos olhares, evidencia os corpos e reage sem piedade”. Em Trindade, Ruy fala do inesperado de, em Teresina, assistir a um espetáculo de fado composto por três homens híbridos de uma transgenia. A Só Homens Cia de Dança conseguiu exprimir em seus movimentos uma singularidade percebida pelo público. “Sem dúvida, um dos mais comoventes trabalhos do ano”. “Em um calor que só existe em Teresina, nesse dia que já choveu por uns trinta segundos, tudo recomeça. O Junta, ou como se nomeou esse ano, Junt4, é um dos festivais que mais aguardo. Existe nele uma jovialidade abusada, pessoas e sorrisos, lugares e provocações que levam a ser único. E por aqui reinício. Hoje sigo a noite pelo 211º espetáculo”, avaliou Ruy Filho em suas redes sociais no primeiro dia de JUNTA. Resenhas completas no link: http://bit.ly/antropositivo

voltar

QUEM FAZ O JUNTA

Direção e curadoria:

Datan Izaká @izakadatan

Jacob Alves @jacobalves

Janaína Lobo @janalobo

Produção:

Izabelle Frota @bebel.frota

Bruno Dantas @brunoodantass

Raissa Nolêto @raissanoleto

Assessoria de imprensa:

Tertuliano Filho @tertulianofilho

Claryanna Alves @aquelaclary

contato:

juntafestival00@gmail.com

©2019 JUNTA