TALVEZ SEJA ISSO 6 NOV 20H - LIVE

TALVEZ SEJA ISSO CIA DANÇURBANA – MS
SEXTA – 6 DE NOVEMBRO – 20H
local: www.juntafestival.com.br
duração: 60 min
ingresso: gratuito
classificação: livre

 

Em Talvez seja isso, Jackeline Mourão mergulha em todos os processos criativos pelos quais já passou, trazendo para cena essas memórias. Um processo inacabado que atinge a inquietude, a crítica, a curiosidade. Sobre se perder e alcançar limites e potencialidades. Sobre um corpo capaz de ser o que é: semelhança, singularidade, fragilidade. Investigando as fronteiras, expandindo-se, deixando à mostra as imperfeições. Um gosto de coisas que explodem, aparecem e ressignificam. Uma tensão tão violenta que explode e rompe a resistência. Talvez FRÁGIL seja ser uma flor, talvez seja ser uma BOMBA. Talvez seja isso… A direção é de Marcos Mattos e Renata Leoni, criação audiovisual e trilha sonora de Reginaldo Borges e figurino e texto de Maíra Espindola.

Jackeline Mourão é graduada em Educação Física Licenciatura e Bacharelado pela Universidade Católica Dom Bosco, MS. Iniciou sua atuação na dança em 2007 através de projetos sociais em Campo Grande. Integra a Cia Dançurbana e o Grupo Expressão de Rua como bailarina e intérprete-criadora. Em 2017 participou do projeto Plataforme-se como intérprete criadora do espetáculo-intervenção “DERIVA”. Em 2018 realizou a performance “Corpo sobre a Tela” com o artista visual Edson Castro no SESC Cultura. Em 2019/2020 fez seu primeiro trabalho solo “Talvez seja isso” pelo Projeto Singulares da Cia Dançurbana. Atua também em produções artísticas pela associação de produtores Arado Cultural. É professora de Danças Urbanas em escolas públicas pela DEAC – Divisão de Esporte Arte e Cultura da Secretaria Municipal de Educação e é professora de dança no Projeto “Brincaturas & Teatrices” na OSCIP Casa de Ensaio.

A Cia Dançurbana é a companhia de dança mais atuante de Mato Grosso do Sul. Em sua trajetória estão 13 espetáculos de dança mantidos no repertório. Com eles já se apresentou inúmeras vezes em Campo Grande, em cidades do interior do Estado e pelo Brasil. Percorreu 54 cidades do País, por meio da seleção para os Projetos SESC AMAZÔNIA DAS ARTES e PALCO GIRATÓRIO. Em 2016 e 2017 realizou 2 projetos patrocinados pelo O BOTICÁRIO NA DANÇA, FURNAS ELETROBRÁS e DIGIX, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura As inúmeras ações que realiza mesclam pesquisa, criação, apresentações, intercâmbios culturais, qualificação profissional de seu corpo técnico e de bailarinos, entre outras, mas principalmente as ações de inclusão sociocultural para a participação da comunidade em função da sua prioridade na formação de público para as danças e as artes. As ações realizadas na comunidade escolar, principalmente, incentivaram a Dançurbana a criar em 2019 os espetáculos K-ZUU e R.U.I.A., a fim de contribuir para minimizar a carência de produção artística para o público da educação infantil. A diversidade da produção da Cia é possível graças a uma equipe multidisciplinar composta por um corpo estável de 10 bailarinos, capitaneada pelo Diretor e Coreógrafo residente Marcos Mattos e mais uma rede de colaboradores, que juntos, fazem da Cia Dançurbana um organismo vivo, consistente e inquieto.

 

Ficha Técnica
Intérprete/Criadora: Jackeline Mourão
Direção: Marcos Mattos e Renata Leoni Bhanu
Criação Audiovisual e Trilha Sonora: Reginaldo Borges
Assistente de câmera e produção: Ariane Nogueira
Figurino: Maíra Espindola